CONVIDADOS

Assim como a vida, a 1ª REAU é feita de gente. E gente da melhor qualidade! Nossos convidados estão na ponta-de-lança do debate audiovisual contemporâneo, amplamente experimentados na teoria e na prática de um cinema que almeja muito mais que sucesso de bilheteria.

 
marcos pimentel 01.jpg

Marcos Pimentel

TEMPERO FILMES

Documentarista formado pela Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños (EICTV – Cuba) e especializado em Cinema Documentário pela Filmakademie Baden-Württemberg, na Alemanha. Também é graduado, no Brasil, em Comunicação Social (UFJF) e Psicologia (CES-JF).

Diretor e roteirista de documentários para cinema que foram exibidos em mais de 700 festivais de 52 países e ganharam 91 prêmios por festivais internacionais, como A parte do mundo que me pertence (Doc / DCP / 84 min  /  2017), Sopro (Doc / 35mm / 73 min  /  2013), Sanã (Doc / 35mm / 18 min  /  2013), A poeira e o vento (Doc / 35mm / 18 min  /  2011), Taba (Doc / 35mm / 16 min  /  2010), Pólis (Doc / 35mm / 22 min  /  2009), A arquitetura do corpo (Doc / 35mm / 21 min  /  2008)  e  O maior espetáculo da Terra (Doc / 35mm / 15 min / 2005).

Entre suas produções para televisão destacam-se o telefilme Ruminantes (Doc / HD / 20 min  /  2005), exibido para toda Europa pelo Canal ARTÈ (França e Alemanha); o telefilme Horizontes mínimos (Doc / HD / 52 min / 2012), contemplado pelo DOCTV América Latina e exibido em emissoras públicas de 15 países latino-americanos; a série (Doc / HD / 4 x 26 min  /  2013) e o telefilme Pequenas lonas (Doc / HD / 52 min  /  2012), exibidos pela TV Brasil, TV Cultura e Rede Minas de Televisão; a série Diários sobre o corpo (Doc / 5 x 26 min  /  2017) e o telefilme As batalhas da fé (Doc / HD / 52 min  /  2017), contemplados pelo Prodav 11 – Edital de Conteúdo para TVs Públicas e atualmente em exibição em 220 emissoras públicas de TV (culturais, educativas, universitárias e comunitárias) de todo território nacional.

Desde 2009, é professor do departamento de documentários do curso regular da Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños (EICTV – Cuba), onde ministra aulas para alunos do curso regular, da maestria documental e dos talleres internacionales. Também dá aulas no curso de Cinema da Escuela de Diseño de Altos de Chavón, na República Dominicana. Desde 2012, é coordenador audiovisual da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais, sediado em Cataguases, sendo responsável pelos projetos da área de formação audiovisual.

Vive e trabalha em Belo Horizonte.

 

 
20246074_10155327082311265_4543674321213887019_n.jpg

Glaura Cardoso Vale

FILMES DE QUINTAL

Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais/Brasil, com pós-doutorado em Comunicação Social pelo PPGCOM/UFMG (2013-2016) e doutorado em Estudos Literários pela FALE/UFMG, Glaura Cardoso Vale atua como pesquisadora nas áreas de cinema e de literatura. 

Como professora de narrativas audiovisuais, ministrou aulas na graduação e em oficinas de documentário. Trabalhou na co-organização de mostras itinerantes, atividade cineclubista e festival, como o forumdoc.bh (Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte), do qual é colaboradora desde 2003. Assina argumento, pesquisa e produção do longa-metragem Acácio (2008), dirigido por Marília Rocha. Publicou artigos em diversos periódicos, tais como Revista Devires – Cinema e humanidades/UFMG, Revista Galáxia/PUC-SP e Suplemento Literário de Minas Gerais. 

Seu primeiro livro de ensaios, A mise-en-film da fotografia no documentário brasileiro, foi publicado pela Relicário Edições e Filmes de Quintal Editora, em 2016, e indicado, em 2017, para a seleção do Mestrado do PPGCine – Programa de Pós-Graduação em Cinema e Audiovisual/UFF. 

Atualmente, tem se dedicado à realização audiovisual e à produção editorial de publicação como os catálogos do FESTCURTASBH (2017 e 2018) e forumdoc.bh (2011-2017).  

 

 
foto_luana_melgaco_bx.jpg

Luana Melgaço

ANAVILHANA

TEIA

Luana Melgaço vive e trabalha em Belo Horizonte. É sócia da Anavilhana Filmes e foi integrante da Teia entre 2010 e 2014, tendo desenvolvido projetos e produzido curtas, longas e instalações em parceria com os realizadores do grupo. 

Produtora de A cidade onde envelheço, longa-metragem de Marilia Rocha, que estreou na competição Hivos Tiger do Festival de Roterdã, 2016. Contemplado pelo Programa Petrobras Cultural e World Cinema Fund, co-produção Brasil e Portugal e grande vencedor do festival de Brasilia em 2016, com estreia nas salas de cinema em 2017, pela Vitrine Filmes.

Produtora de Girimunho, longa de Helvécio Marins Jr e Clarissa Campolina, uma co-produção com a Dezenove Som e Imagens, Autentika Films (Alemanha) e Eddie Saeta (Espanha). Apoiado pelo Hubert Bals Fund (Roterdã), Ibermedia e World Cinema Fund (Berlinale). Estreia mundial no Festival de Veneza, em 2011. Produtora do longa-metragem O céu sobre os ombros, de Sérgio Borges, grande vencedor do Festival de Brasília em 2010, com os prêmios de melhor filme, melhor direção, roteiro, montagem e prêmio especial para os atores. Estreia internacional no Tiger Awards Competition, Festival de Roterdã (2011).

Produtora do longa-metragem A falta que me faz, de Marilia Rocha, premiado como melhor filme no Festival Latino Americano de São Paulo (2010). Produziu oito documentários de Marcos Pimentel, entre eles os longas-metragens Sopro e A parte do mundo que me pertence, os curtas Sanã e A poeira e o vento, esse ultimo, vencedor do Festival É Tudo Verdade em 2011; além de Horizontes Mínimos, projeto que representa o Brasil no programa III DOCTV Latino-América, exibido nas televisões públicas de 16 países do continente americano.

Os filmes que produziu ganharam prêmios e foram exibidos em festivais nacionais e internacionais, lançados em sala de cinema, DVD e televisão. Atualmente desenvolve os projetos de longa-metragem Coiote, de Sergio Borges, em fase de montagem; Saudade, de Marcos Pimentel, em fase de pré-produção, Canção ao Longe, de Clarissa Campolina; Corte Real, de Julia de Simone e Kevin, de Joana Oliveira, todos em fase de desenvolvimento de roteiro. É produtora do Núcleo Criativo Transcriações, financiado pelo Prodav 03, que desenvolve projetos de quatro longas-metragens e duas séries de televisão, com um grupo de 15 roteiristas.

 

 
erico rassi.jpg

Erico Rassi

RIO BRAVO FILMES

Erico Rassi é diretor, roteirista e montador. Estreou seu primeiro longa-metragem, “Comeback”, no Festival do Rio 2016 - de onde o protagonista Nelson Xavier saiu com o prêmio de melhor ator. O filme também foi premiado em Portugal, no Festin-Lisboa, em que acumulou o troféu de melhor direção e prêmio da crítica de melhor filme.

Seus curtas “Sexo com Objetos Inanimados”, “Um pra Um” e “Milímetros” participaram de dezenas de festivais brasileiros, suíços, espanhóis, ingleses e cubanos, como 3º Festival Sul Americano de Cinema e Vídeo Universitário (melhor filme e melhor roteiro); Festival Internacional Curta Cinema RJ  – prêmio Porta Curtas Petrobrás – júri popular); Goiânia Mostra Curtas (prêmios Destaque Especial e melhor direção); Festival de Gramado (seleção oficial); London Brazilian Film Festival (seleção oficial); Academia Internacional de Cinema –SP (melhor filme, melhor direção, melhor  fotografia, melhor  ator e melhor  atriz); Festival de Recife – Cine-PE (melhor montagem); Festival Ibero-Americano de Cinema e Video– CINE-SE (melhor curta ficção); Festival de Filmets de Barcelona (seleção mostra competitiva); Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano de La Habana / Cuba (seleção mostra competitiva); 12º Festivalíssimo – Festival de Filmes Ibero-Latino Americanos de Montreal (seleção oficial) e Festival de Paulínia (melhor roteiro, melhor direção, melhor ator), entre outros.

Atualmente Erico dirige as séries “Giramundo”, contemplada no edital de tv’s públicas, e “Doceiras do Brasil”, para o canal CineBrasilTV.